Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Casal homoafetivo denuncia agressão e homofobia em balada de Camboriú

Terça, 6/8/2019 9:30.

Um casal homoafetivo, formado por dois homens, P.R.P.H., 25 anos, e J.V.F. de F., 19 anos, denuncia que foram agredidos e alvos de homofobia na madrugada de domingo(4), na casa noturna Zen Club, no Bairro Rio Pequeno, em Camboriú. Eles devem entrar com uma queixa-crime e com uma ação cível para responsabilizar os agressores.

Segundo informações, os dois foram agredidos por um terceiro rapaz quando se beijaram na balada. Eles não revidaram a agressão no mesmo instante e teriam questionado o motivo para terem sido atingidos. O agressor teria dito que ‘não gostava de ver dois homens se beijando’, socando o rosto de P.R.P.H. mais uma vez. Foi aí que a vítima revidou o soco, com o objetivo de se defender.

Os namorados acabaram sendo expulsos do local por seguranças da casa noturna, que também teriam agredido P.R.P.H.. As vítimas acabaram deixando dentro do estabelecimento celulares e um par de tênis e teriam sido impedidos de voltar para pegar os pertences, sendo ameaçados de que ‘poderiam apanhar mais’.

Do lado de fora do Zen Club, os seguranças teriam agredido novamente os namorados, falando ainda que eles não poderiam esperar a polícia perto do local. Os dois relatam que foram ameaçados, xingados e estão com diversos ferimentos pelo corpo. Eles chegaram a andar 40 minutos até o Pronto Atendimento (PA) do Bairro da Barra, em Balneário Camboriú.

O casal conversou com a Polícia Militar e registrou um boletim de ocorrência. Eles contrataram um advogado e vão fazer uma queixa-crime por homofobia para responsabilizar criminalmente os agressores, além de uma ação cível.

O Zen Club se pronunciou através de uma nota de esclarecimento, onde salienta que ‘uma série de providências’ estão sendo tomadas para apurar o ocorrido, destacando que ‘repudiam qualquer ato de intolerância por motivação sexual’ e que se solidarizam com as partes envolvidas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Casal homoafetivo denuncia agressão e homofobia em balada de Camboriú

Publicidade

Terça, 6/8/2019 9:30.

Um casal homoafetivo, formado por dois homens, P.R.P.H., 25 anos, e J.V.F. de F., 19 anos, denuncia que foram agredidos e alvos de homofobia na madrugada de domingo(4), na casa noturna Zen Club, no Bairro Rio Pequeno, em Camboriú. Eles devem entrar com uma queixa-crime e com uma ação cível para responsabilizar os agressores.

Segundo informações, os dois foram agredidos por um terceiro rapaz quando se beijaram na balada. Eles não revidaram a agressão no mesmo instante e teriam questionado o motivo para terem sido atingidos. O agressor teria dito que ‘não gostava de ver dois homens se beijando’, socando o rosto de P.R.P.H. mais uma vez. Foi aí que a vítima revidou o soco, com o objetivo de se defender.

Os namorados acabaram sendo expulsos do local por seguranças da casa noturna, que também teriam agredido P.R.P.H.. As vítimas acabaram deixando dentro do estabelecimento celulares e um par de tênis e teriam sido impedidos de voltar para pegar os pertences, sendo ameaçados de que ‘poderiam apanhar mais’.

Do lado de fora do Zen Club, os seguranças teriam agredido novamente os namorados, falando ainda que eles não poderiam esperar a polícia perto do local. Os dois relatam que foram ameaçados, xingados e estão com diversos ferimentos pelo corpo. Eles chegaram a andar 40 minutos até o Pronto Atendimento (PA) do Bairro da Barra, em Balneário Camboriú.

O casal conversou com a Polícia Militar e registrou um boletim de ocorrência. Eles contrataram um advogado e vão fazer uma queixa-crime por homofobia para responsabilizar criminalmente os agressores, além de uma ação cível.

O Zen Club se pronunciou através de uma nota de esclarecimento, onde salienta que ‘uma série de providências’ estão sendo tomadas para apurar o ocorrido, destacando que ‘repudiam qualquer ato de intolerância por motivação sexual’ e que se solidarizam com as partes envolvidas. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade