Jornal Página 3
PÁGINA 3 / Educação
Professores de Balneário Camboriú receberão formação em cultura de paz pela LIC

Terça, 11/6/2019 9:57.
Fotos Julian Cechinel

Publicidade

Com patrocínio da Fundação Cultural, através da Lei de Incentivo à Cultura (LIC), cinco escolas da rede estadual foram selecionadas para receber o projeto de formação em cultura da paz e não violência, a partir de junho. Os professores das escolas Professora Maria da Glória Pereira, Francisca Alves Gevaerd, Professor Laureano Pacheco, Presidente João Goulart e Ruizélio Cabral receberão a formação de oito horas.

Cristina Zimmermann, idealizadora do projeto da não-violência ao centro, junto com os professores do Maria da Glória

Segundo a organização, durante as formações serão utilizadas técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais, usando como ferramenta as práticas de comunicação não-violenta, exercícios de arteterapia e facilitação com o jogo Grok (jogo de apoio da CNV).

O objetivo do projeto é formar o máximo de professores em polarizadores de uma comunicação empática e não-violenta, uma prática que auxilia na criação de ambientes seguros para lidar com conflitos intrapessoais, interpessoais e sistêmicos.

A metodologia também busca potencializar as habilidades de comunicação e de criatividade entre os professores, para que possam estabelecer estratégias mais esclarecidas para o modelo de educação ou em seu cotidiano. A comunicação não-violenta (CNV) é uma ferramenta que visa melhorar a qualidade das conexões feitas no dia a dia por meio da autenticidade, transparência e resgate dos sentimentos e necessidades, estabelecendo relações mais fortes em casos onde é preciso enfrentar desafios.

Além disso, outras técnicas serão utilizadas durante as formações com o apoio do Aha! pesquisas culturais e artes integradas. Uma pesquisadora itinerante que percorre por diversas cidades no Brasil mapeando dados e integrando cultura, design de sustentabilidade, artes, tecnologias sociais e comunicação autêntica. O intuito é mapear o sistema de educação e desenvolver possíveis transformações para um futuro que emerge, tornando os aprendizados inteiramente replicáveis com os alunos. Um dos métodos utilizados será o mapa 3D da teoria U, uma metodologia que utiliza um conjunto de ferramentas e práticas que auxiliam equipes a promoverem profundos processos de mudanças, aprendizagem e inovação social, o que, consequentemente, contribui para o aumento do bem estar e da produtividade de uma equipe e até da organização como um todo. Também será aplicado conteúdos sobre design de sustentabilidade, regeneração humana e arteterapia. Um conjunto de metodologias (Teoria U, Arteterapia e CNV) que auxiliará no desenvolvimento de novas estratégias para um modelo de educação mais lúdico, livre, em busca de uma cultura regenerativa e de paz, o que torna o processo de aprendizagem igualmente e até mais eficaz quanto o sistema atual.

Professores do Maria da Glória em ação

O programa também será um protótipo para uma pesquisa qualitativa, produzida através de um documentário e um diário digital com as imagens e relatos dos professores em um círculo dialógico sobre como a ludicidade pode apoiar para uma cultura de paz e regenerativa nos ambientes de aprendizagem? Os conteúdos poderão ser acessados através das redes sociais: Facebook: Cultura de paz para uma transição cultural e Instagram: @cult.paz, ou pelo e-mail: cristina.ahapesquisasculturais@gmail.com.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Professores de Balneário Camboriú receberão formação em cultura de paz pela LIC

Fotos Julian Cechinel

Publicidade

Terça, 11/6/2019 9:57.

Com patrocínio da Fundação Cultural, através da Lei de Incentivo à Cultura (LIC), cinco escolas da rede estadual foram selecionadas para receber o projeto de formação em cultura da paz e não violência, a partir de junho. Os professores das escolas Professora Maria da Glória Pereira, Francisca Alves Gevaerd, Professor Laureano Pacheco, Presidente João Goulart e Ruizélio Cabral receberão a formação de oito horas.

Cristina Zimmermann, idealizadora do projeto da não-violência ao centro, junto com os professores do Maria da Glória

Segundo a organização, durante as formações serão utilizadas técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais, usando como ferramenta as práticas de comunicação não-violenta, exercícios de arteterapia e facilitação com o jogo Grok (jogo de apoio da CNV).

O objetivo do projeto é formar o máximo de professores em polarizadores de uma comunicação empática e não-violenta, uma prática que auxilia na criação de ambientes seguros para lidar com conflitos intrapessoais, interpessoais e sistêmicos.

A metodologia também busca potencializar as habilidades de comunicação e de criatividade entre os professores, para que possam estabelecer estratégias mais esclarecidas para o modelo de educação ou em seu cotidiano. A comunicação não-violenta (CNV) é uma ferramenta que visa melhorar a qualidade das conexões feitas no dia a dia por meio da autenticidade, transparência e resgate dos sentimentos e necessidades, estabelecendo relações mais fortes em casos onde é preciso enfrentar desafios.

Além disso, outras técnicas serão utilizadas durante as formações com o apoio do Aha! pesquisas culturais e artes integradas. Uma pesquisadora itinerante que percorre por diversas cidades no Brasil mapeando dados e integrando cultura, design de sustentabilidade, artes, tecnologias sociais e comunicação autêntica. O intuito é mapear o sistema de educação e desenvolver possíveis transformações para um futuro que emerge, tornando os aprendizados inteiramente replicáveis com os alunos. Um dos métodos utilizados será o mapa 3D da teoria U, uma metodologia que utiliza um conjunto de ferramentas e práticas que auxiliam equipes a promoverem profundos processos de mudanças, aprendizagem e inovação social, o que, consequentemente, contribui para o aumento do bem estar e da produtividade de uma equipe e até da organização como um todo. Também será aplicado conteúdos sobre design de sustentabilidade, regeneração humana e arteterapia. Um conjunto de metodologias (Teoria U, Arteterapia e CNV) que auxiliará no desenvolvimento de novas estratégias para um modelo de educação mais lúdico, livre, em busca de uma cultura regenerativa e de paz, o que torna o processo de aprendizagem igualmente e até mais eficaz quanto o sistema atual.

Professores do Maria da Glória em ação

O programa também será um protótipo para uma pesquisa qualitativa, produzida através de um documentário e um diário digital com as imagens e relatos dos professores em um círculo dialógico sobre como a ludicidade pode apoiar para uma cultura de paz e regenerativa nos ambientes de aprendizagem? Os conteúdos poderão ser acessados através das redes sociais: Facebook: Cultura de paz para uma transição cultural e Instagram: @cult.paz, ou pelo e-mail: cristina.ahapesquisasculturais@gmail.com.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade