Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Forças da segurança querem horário de funcionamento para bares e casas noturnas em Balneário Camboriú
Divulgação

Quinta, 1/8/2019 15:48.

As forças da segurança realizaram na noite de ontem (31), no 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú, no Bairro das Nações, a reunião mensal para discutir as ações integradas para o mês de agosto.

Na ocasião, as polícias Militar e Civil e Guarda Municipal, Bombeiros e IML sugeriram a representantes do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Balneário Camboriú e Região (Sindisol) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), sobre a necessidade de um decreto municipal que irá estabelecer o horário de funcionamento dos bares, restaurantes e casas noturnas da cidade.

Até o momento Balneário Camboriú não tem uma legislação oficial sobre o horário de funcionamento desses estabelecimentos, apesar do assunto já ter sido discutido diversas vezes. Mais uma vez o tema foi levantado, e as forças de segurança estão elaborando um decreto municipal sobre o assunto, e por isso se reuniram ontem também com a CDL e com o Sindisol.

“Apresentamos para eles a proposta do nosso decreto, que regulamenta o horário de funcionamento, variando de acordo com a finalidade do estabelecimento”, diz o secretário de Segurança, David Queiroz.

A ideia é que casas noturnas funcionem até às 5h fora da temporada, e no verão até às 6h. No decreto, bares e restaurantes podem atender ao público até à 1h e aos fins de semana, feriados e verão até às 3h. Os quiosques e conveniências devem funcionar até à meia-noite durante o ano e na temporada até à 1h.

“As duas entidades aprovaram, discutimos juntos os horários, além de termos nos baseado em pedidos que os empresários mesmos fazem quando vão retirar seus alvarás junto da Polícia Civil, não foi algo aleatório, sabemos o horário que a cidade funciona”, pontua Queiroz.

Isso é, por enquanto, apenas uma proposta, que deve ser apresentada em breve ao prefeito Fabrício Oliveira.

Sindisol

O presidente do Sindisol, Alessandro Fondini, disse estar bastante satisfeito, lembrando que os horários propostos são os já seguidos pelos estabelecimentos da cidade, e que o decreto iria oficializar isso.

“O projeto de decreto também pareceu bastante flexível, porque há ocasiões em que precisamos trabalhar até mais tarde e tínhamos medo de denúncias ou fiscalização, e agora isso poderá acontecer. Em ocasiões especiais, claro, como restaurantes que fazem eventos, por exemplo”, diz.

O presidente, que é proprietário da Macarronada Italiana, gostou também dos horários na temporada, ocasião em que os locais precisam funcionar até mais tarde.

“Vamos esperar o decreto se tornar oficial para nos reunirmos com os associados, mas é exatamente isso que queríamos”, acrescenta.

CDL

A diretora financeira da CDL, Cler da Silva, também participou da reunião e afirma que, as entidades, como representantes do comércio local e pensando na segurança da cidade, estão ‘convictas de que o decreto oferecerá uma resposta eficaz em face às consequências negativas dos tempos atuais’.

“Tende a diminuir o consumo de álcool na orla da praia e a perturbação da paz”, diz.

Reivindicações da comunidade

Durante a reunião, representantes da comunidade também falaram e reivindicaram questões ligadas à segurança da cidade junto aos policiais, guardas e bombeiros.

Segundo o secretário da segurança municipal, David Queiroz, a comunidade do Bairro Vila Real pediu por reforço de rondas no bairro, citando uma empresa de reciclagem que há no local e que vem sendo foco de usuários de drogas e moradores de rua. Para minimizar a situação, deve iniciar no bairro, na próxima semana, um patrulhamento comunitário.

“Fomos bastante questionados também sobre as câmeras de segurança, e inclusive devem ser instaladas mais 66 nessa primeira quinzena de agosto.

Os moradores do Bairro das Nações também se fizeram presentes e fizeram reivindicações sobre o trânsito e pediram por mais iluminação em algumas ruas”, completa.

Integração das forças

A reunião das forças da segurança discutiu as ações integradas que realizarão no mês de agosto, como operações e blitzes. O secretário

David salienta que o trabalho vem sendo ‘muito positivo’ e que a integração é ‘essencial’.

“Isso se reflete no fato de que atingimos três meses sem homicídio em Balneário Camboriú, e é resultado também da integração, como ainda do trabalho repressivo e investigativo da Polícia Civil. Já tem dado um resultado bastante positivo e acredito que se seguirmos assim Balneário Camboriú será, a médio e longo prazo, a cidade mais segura do Brasil”, afirma.

O delegado regional de Balneário Camboriú, Fábio Osório, avalia que a reunião foi ‘bastante produtiva’, contando com a presença de todos os membros do grupo de integração.

“Nos ativemos principalmente a necessidade de regulamentação legislativa do horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais, bares, restaurantes e boates na cidade. Claro que essa regulamentação deve ser feita de forma sensata, deve ser levada em consideração o interesse dos empresários e a essência turística do município. Após esse debate, encontramos a população, onde recebemos as demandas da comunidade. Foi bem produtivo”, comenta.


A proposta ainda será submetida ao prefeito. Qual a sua opinião sobre o assunto?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Forças da segurança querem horário de funcionamento para bares e casas noturnas em Balneário Camboriú

Divulgação

Publicidade

Quinta, 1/8/2019 15:48.

As forças da segurança realizaram na noite de ontem (31), no 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Balneário Camboriú, no Bairro das Nações, a reunião mensal para discutir as ações integradas para o mês de agosto.

Na ocasião, as polícias Militar e Civil e Guarda Municipal, Bombeiros e IML sugeriram a representantes do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Balneário Camboriú e Região (Sindisol) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), sobre a necessidade de um decreto municipal que irá estabelecer o horário de funcionamento dos bares, restaurantes e casas noturnas da cidade.

Até o momento Balneário Camboriú não tem uma legislação oficial sobre o horário de funcionamento desses estabelecimentos, apesar do assunto já ter sido discutido diversas vezes. Mais uma vez o tema foi levantado, e as forças de segurança estão elaborando um decreto municipal sobre o assunto, e por isso se reuniram ontem também com a CDL e com o Sindisol.

“Apresentamos para eles a proposta do nosso decreto, que regulamenta o horário de funcionamento, variando de acordo com a finalidade do estabelecimento”, diz o secretário de Segurança, David Queiroz.

A ideia é que casas noturnas funcionem até às 5h fora da temporada, e no verão até às 6h. No decreto, bares e restaurantes podem atender ao público até à 1h e aos fins de semana, feriados e verão até às 3h. Os quiosques e conveniências devem funcionar até à meia-noite durante o ano e na temporada até à 1h.

“As duas entidades aprovaram, discutimos juntos os horários, além de termos nos baseado em pedidos que os empresários mesmos fazem quando vão retirar seus alvarás junto da Polícia Civil, não foi algo aleatório, sabemos o horário que a cidade funciona”, pontua Queiroz.

Isso é, por enquanto, apenas uma proposta, que deve ser apresentada em breve ao prefeito Fabrício Oliveira.

Sindisol

O presidente do Sindisol, Alessandro Fondini, disse estar bastante satisfeito, lembrando que os horários propostos são os já seguidos pelos estabelecimentos da cidade, e que o decreto iria oficializar isso.

“O projeto de decreto também pareceu bastante flexível, porque há ocasiões em que precisamos trabalhar até mais tarde e tínhamos medo de denúncias ou fiscalização, e agora isso poderá acontecer. Em ocasiões especiais, claro, como restaurantes que fazem eventos, por exemplo”, diz.

O presidente, que é proprietário da Macarronada Italiana, gostou também dos horários na temporada, ocasião em que os locais precisam funcionar até mais tarde.

“Vamos esperar o decreto se tornar oficial para nos reunirmos com os associados, mas é exatamente isso que queríamos”, acrescenta.

CDL

A diretora financeira da CDL, Cler da Silva, também participou da reunião e afirma que, as entidades, como representantes do comércio local e pensando na segurança da cidade, estão ‘convictas de que o decreto oferecerá uma resposta eficaz em face às consequências negativas dos tempos atuais’.

“Tende a diminuir o consumo de álcool na orla da praia e a perturbação da paz”, diz.

Reivindicações da comunidade

Durante a reunião, representantes da comunidade também falaram e reivindicaram questões ligadas à segurança da cidade junto aos policiais, guardas e bombeiros.

Segundo o secretário da segurança municipal, David Queiroz, a comunidade do Bairro Vila Real pediu por reforço de rondas no bairro, citando uma empresa de reciclagem que há no local e que vem sendo foco de usuários de drogas e moradores de rua. Para minimizar a situação, deve iniciar no bairro, na próxima semana, um patrulhamento comunitário.

“Fomos bastante questionados também sobre as câmeras de segurança, e inclusive devem ser instaladas mais 66 nessa primeira quinzena de agosto.

Os moradores do Bairro das Nações também se fizeram presentes e fizeram reivindicações sobre o trânsito e pediram por mais iluminação em algumas ruas”, completa.

Integração das forças

A reunião das forças da segurança discutiu as ações integradas que realizarão no mês de agosto, como operações e blitzes. O secretário

David salienta que o trabalho vem sendo ‘muito positivo’ e que a integração é ‘essencial’.

“Isso se reflete no fato de que atingimos três meses sem homicídio em Balneário Camboriú, e é resultado também da integração, como ainda do trabalho repressivo e investigativo da Polícia Civil. Já tem dado um resultado bastante positivo e acredito que se seguirmos assim Balneário Camboriú será, a médio e longo prazo, a cidade mais segura do Brasil”, afirma.

O delegado regional de Balneário Camboriú, Fábio Osório, avalia que a reunião foi ‘bastante produtiva’, contando com a presença de todos os membros do grupo de integração.

“Nos ativemos principalmente a necessidade de regulamentação legislativa do horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais, bares, restaurantes e boates na cidade. Claro que essa regulamentação deve ser feita de forma sensata, deve ser levada em consideração o interesse dos empresários e a essência turística do município. Após esse debate, encontramos a população, onde recebemos as demandas da comunidade. Foi bem produtivo”, comenta.


A proposta ainda será submetida ao prefeito. Qual a sua opinião sobre o assunto?

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade