Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Pontos de milho de Balneário Camboriú serão fechados no dia 30 de maio
Renata Rutes Henning.

Quarta, 17/4/2019 17:16.

Os pontos de milho, churros. aluguel de cadeiras e guarda-sóis, deixarão de funcionar no dia 30 de maio, por força de acordo dos próprios “milheiros” com o Ministério Público e prefeitura municipal.

A queixa de alguns comerciantes por investirem na renovação arquitetônica dos pontos e agora precisarem fechá-los é descabida porque no acordo firmado entre prefeitura e Ministério Público ficou claro, com testemunho da associação dos comerciantes, que seria assim, como pode ser visto no documento abaixo:

Na tarde desta quarta-feira (17) o gabinete da promotoria confirmou que os pontos de milho devem ser fechado até 30 de maio, que o prefeito foi intimado novamente neste sentido e que os comerciantes estavam plenamente cientes porque o presidente da associação que os representa participou das negociações.

O Ministério Público não quer a eliminação dos pontos comerciais e sim que eles sejam licitados, dando a qualquer cidadão a oportunidade de disputar em igualdade de condições um ponto comercial em espaço público.

Se o prefeito não cumprir o acordo pagará R$ 1 mil de multa pessoal diária, com esse dinheiro saindo do seu bolso e não dos cofres da prefeitura.

Se o governo federal concordar (praias pertencem à União), a prefeitura licitará pontos de milho que na verdade hoje estão mais voltados para o aluguel de cadeiras e guarda-sóis.

O loteamento da praia é um excelente negócio pois embora cada ponto possa ter 100 cadeiras, nesse verão a fiscalização da prefeitura encontrou em um depósito 700 para serem alugadas de forma clandestina.

O descumprimento das regras quando reprimido pela fiscalização gera reações inclusive de políticos envolvidos em uma espécie de máfia que se apoderou dos trechos mais rentáveis do espaço público na praia central da cidade.

Dos quase 150 pontos existentes, provavelmente mais da metade será eliminada.

Se surgirem novos, eles serão equidistantes, não mais amontoados uns com os outros nos pontos de maior movimento.

A licitação pública para locação desses pontos, se ocorrer, levará em conta o potencial de faturamento de cada ponto.

QUIOSQUES

O município já decidiu que quatro quiosques serão demolidos porque atrapalham os pedestres ou a ciclovia.

A demolição acontecerá em breve, assim que vencerem os contratos de aluguel.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Pontos de milho de Balneário Camboriú serão fechados no dia 30 de maio

Renata Rutes Henning.

Publicidade

Quarta, 17/4/2019 17:16.

Os pontos de milho, churros. aluguel de cadeiras e guarda-sóis, deixarão de funcionar no dia 30 de maio, por força de acordo dos próprios “milheiros” com o Ministério Público e prefeitura municipal.

A queixa de alguns comerciantes por investirem na renovação arquitetônica dos pontos e agora precisarem fechá-los é descabida porque no acordo firmado entre prefeitura e Ministério Público ficou claro, com testemunho da associação dos comerciantes, que seria assim, como pode ser visto no documento abaixo:

Na tarde desta quarta-feira (17) o gabinete da promotoria confirmou que os pontos de milho devem ser fechado até 30 de maio, que o prefeito foi intimado novamente neste sentido e que os comerciantes estavam plenamente cientes porque o presidente da associação que os representa participou das negociações.

O Ministério Público não quer a eliminação dos pontos comerciais e sim que eles sejam licitados, dando a qualquer cidadão a oportunidade de disputar em igualdade de condições um ponto comercial em espaço público.

Se o prefeito não cumprir o acordo pagará R$ 1 mil de multa pessoal diária, com esse dinheiro saindo do seu bolso e não dos cofres da prefeitura.

Se o governo federal concordar (praias pertencem à União), a prefeitura licitará pontos de milho que na verdade hoje estão mais voltados para o aluguel de cadeiras e guarda-sóis.

O loteamento da praia é um excelente negócio pois embora cada ponto possa ter 100 cadeiras, nesse verão a fiscalização da prefeitura encontrou em um depósito 700 para serem alugadas de forma clandestina.

O descumprimento das regras quando reprimido pela fiscalização gera reações inclusive de políticos envolvidos em uma espécie de máfia que se apoderou dos trechos mais rentáveis do espaço público na praia central da cidade.

Dos quase 150 pontos existentes, provavelmente mais da metade será eliminada.

Se surgirem novos, eles serão equidistantes, não mais amontoados uns com os outros nos pontos de maior movimento.

A licitação pública para locação desses pontos, se ocorrer, levará em conta o potencial de faturamento de cada ponto.

QUIOSQUES

O município já decidiu que quatro quiosques serão demolidos porque atrapalham os pedestres ou a ciclovia.

A demolição acontecerá em breve, assim que vencerem os contratos de aluguel.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade