Jornal Página 3

Projeto de Complexo Aquático é apresentado

Imponente, mas funcional. O arquiteto da Secretaria de Planejamento Helvys Zermiani apresentou na última semana (9) o projeto de um complexo aquático desenvolvido a partir da proposta do vereador Lucas Gotardo (PSB).

O projeto, pensado para uma área pública ao lado do quartel em cnostrução dos bombeiros, no Bairro dos Estados, apresenta duas piscinas: uma menor, de 10m x 10m, voltada às hidroterapias e uma semi-olímpica, com 10 raias e 25m de comprimento.

Em estrutura metálica, usando basicamente aço, concreto e vidro, o que pode encarecer um pouco o valor total, mas compensar em mão de obra e funcionalidades. Um dos diferenciais é o teto em material transparente, que pode ser vidro ou policarbonato, por exemplo, e assim aproveitar a iluminação natural.

Seriam dois pavimentos e um subsolo reservado para estacionamento e maquinário. No primeiro andar estaria o hall com catraca, acessibilidade, recepção, algumas salas e a piscina menor. Já no 2º piso fica a piscina semi-olímpica, uma pequena academia, espaço de convívio, auditório e cinco salas de apoio.

Durante a reunião foi levantada a questão de aproveitar a estrutura para receber uma secretaria, possivelmente a Fundação de Esportes, hoje funcionando em uma casa alugada.

O arquiteto Helvys (de azul) apresenta o projeto ao vereador, comando do CBM e representantes da FMEBC - Crédito: Daniella Rodrigues

A intenção é que os custos de edificação e manutenção sejam compensados com o aproveitamento do local. Por isso o projeto vem sendo acompanhado pelo Corpo de Bombeiros, que poderá colaborar financeiramente com o custeio.

Apesar de ser uma cidade litorânea, não existe hoje em Balneário Camboriú estrutura pública para ensino da natação, atividades terapêuticas, projetos sociais ou treinamento de guarda-vidas que não seja o mar.

O complexo supriria essa necessidade com o bônus de ser um local controlado, com água na mesma temperatura o ano todo e sem depender dos fatores do tempo.

O comandante do 13º Batalhão CBM coronel Eduardo Haroldo De Lima elogiou o projeto e sugeriu prever também espaço para atividades da Secretaria do Idoso e Educação.

Para o professor da Fundação Municipal de Esportes, Charles Oliveira Silva, investir em alternativas de atividades físicas é prevenir futuros gastos com saúde pública.

O arquiteto Helvys se colocou à disposição para fazer as adaptações necessárias e também vai preparar uma apresentação para que o gabinete do vereador Lucas Gotardo e quem mais se interessar em abraçar a causa, possa correr atrás de aporte financeiro no Governo Federal e através de emendas parlamentares.

Não foram descartadas as parcerias com iniciativa privada.

O valor estimado geralmente é informado após a contratação do projeto executivo (o que ainda não aconteceu), mas o arquiteto acredita em um investimento entre R$ 6 e R$ 7 milhões.


Sexta, 10/11/2017 9:20.
Publicidade


Colunistas
Cidade

É resultado de desrespeito e incapacidade administrativa. Escola é a única que oferece ensino integral para educação fundamental.


Empregos

Com terceirização os 157 contratados poderão ser mantidos no emprego. Veja as vagas disponíveis.


Geral

Devido serviço de manutenção na ETA


Cidade

Navio já chegou com passageiros de 14 nacionalidades e 1.283 tripulantes 


Mundo/Internacional


Publicidade

Projetos têm nomes de árvores nativas e podem ser adequados ao gosto dos clientes


Publicidade